Queimaduras

A cirurgia plástica reparadora pode ter um papel importante no tratamento de pacientes queimados. Cada tipo de queimadura requer um cuidado especial e específico, dependendo do agente causador, da extensão e da profundidade dos ferimentos.

Queimaduras de 1º grau, não necessitam de cirurgia, pois elas são superficiais e cicatrizam sozinhas, onde são utilizados hidratantes e géis para aliviar a dor.

Queimaduras de 2º grau já podem necessitar de reparo cirúrgico, principalmente as mais profundas. Dependendo da extensão, pode ser retirada aquela área queimada e suturada ou realizado um enxerto de pele, que é um autotransplante de pele íntegra de outra área do corpo para restaurar a pele perdida.

Queimaduras de 3º grau sempre precisam de cirurgia para sua resolução, pois a pele é totalmente destruída e perde a capacidade de cicatrização. Nesses casos é necessário pelo menos um procedimento cirúrgico para retirada da pele necrosada.

 Indicação

  • A cirurgia reparadora de queimadura pode ser indicada para queimaduras de segundo e terceiro grau.

 Tipo de Anestesia

  • Depende muito da extensão da queimadura. Se a área atingida não for grande, pode-se fazer o uso da anestesia local com ou sem sedação. Se a queimadura for muito grande é indicada a anestesia geral.

 Complicações

  • São difíceis de acontecer, porém podemos citar as mais comuns: hematoma e infecção.

  • Se a técnica cirúrgica for bem implementada e o paciente seguir os conselhos pós-operatórios, a chance de que ocorram complicações diminui drasticamente.

    .

 Resultado

  • Existe um inchaço que diminui entre 30 e 60 dias, dependendo do método usado (enxertia de pele, transferência de pele e gordura, ou ainda com músculo associado). O resultado definitivo pode ser visto após 6 meses, que é o tempo de amadurecimento da cicatriz.

 Pós-operatório

  • Recomenda-se manter a região operada imóvel e protegê-la de hematomas com curativos acolchoados, visto que a pele precisa fixar-se e receber nutrientes. O paciente também deve ter cuidado para evitar infecções e facilitar a cicatrização. Neste processo, normalmente são utilizados curativos ou pomadas.
  • Não fumar por 15 dias após a cirurgia, pois as substâncias presentes no cigarro podem retardar a cicatrização.