Tumor de Pele

A cirurgia reparadora de tumor de pele consiste na remoção parcial ou total de lesões de pele, que pode ser benigno ou maligno.

Os tumores benignos mais comuns são: nevos (pintas), siringomas, quelóides, lipomas, cistos, leiomiomas, neuromas e hemangiomas.

Os tumores malignos mais comuns são: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma epidermóide ou espinocelular (CEC) e melanoma.

 Indicação

  • Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, nem toda lesão de pele exige retirada cirúrgica ou é um tumor de pele. Isso vai depender de uma avaliação médica, que examina a lesão e oferece ao paciente, os tratamentos não-cirúrgicos e cirúrgicos que podem ser adotados em cada caso.

 Tipo de Anestesia

  • Existem 2 tipos que são indicadas: local com ou sem sedação e geral.

 Complicações

  • São difíceis de acontecer, porém podemos citar as mais comuns: hematoma, infecção, necrose, cicatrização ruim, alterações de sensibilidade e complicações inerentes ao ato anestésico.

  • Se a técnica cirúrgica for bem implementada e o paciente seguir os conselhos pós-operatórios, a chance de que ocorram complicações diminui drasticamente.

    .

 Resultado

  • O resultado já é bastante visível após a cirurgia. Existem um inchaço e roxidão que vão reduzir drasticamente após 30 dias. O resultado definitivo pode ser visto após 6 meses, que é o tempo de amadurecimento da cicatriz.

 Pós-operatório

  • A cicatrização é tranquila, geralmente ocorre sem problemas.
  • Evitar atividades físicas que forcem o local operado.
  • Realizar as trocas de curativo conforme as recomendações.
  • Fazer uso das medicações prescritas corretamente.
  • Protejer a cicatriz do sol pelo tempo determinado
  • Fazer o acompanhamento com cirurgião para se certificar de que a ferida está cicatrizando corretamente.